Desde a década de 1990, com a criação do 2G e o aumento do uso da internet, a tecnologia está em constante evolução e tomando conta de todo o mundo. E, entre os meses de fevereiro e março, ocorreu o Mobile World Congress (MWC) em Barcelona, evento que reuniu mais de 100 mil patrocinadores e expositores com o intuito de alcançar a comunidade móvel global.

Nessa conferência, mais de 2.400 empresas apresentaram seus produtos e serviços, que, através de temas como inteligência artificial, Internet, drones e 5G – assunto mais comentado durante a conferência, proporcionaram experiências únicas aos visitantes.

A tecnologia sem fio da próxima geração promete ir além dos celulares e alcançar veículos, dispositivos domésticos e outros objeto com conexão à internet em velocidades muito maiores. Os primeiros projetos comerciais de 5G serão lançados pela AT&T nos Estados Unidos este ano, seguidos pelo Japão e Coreia do Sul em 2019 e no Brasil a previsão é de que as operadoras lancem em 2020.

Durante o evento, foi dito que o 5G irá revolucionar a comunicação móvel, uma vez que a quinta onda de rede móvel ampliará a velocidade da internet em taxas que podem chegar até a 140 vezes maiores do que o 4G, chegando próximo aos 5 gigabits por segundo, suportando bilhões de dispositivos conectados. A robótica, veículos autônomos e realidade virtual serão as primeiras áreas a se beneficiarem com a nova tecnologia.

A grande promessa da GSM Association sobre o 5G, em relação ao transporte, é o  drone de táxi da eHANG, que nada mais é do que um drone voador grande o suficiente para caber um passageiro. Ele irá estrear no final deste ano pegando passageiros no aeroporto de Dubai para hotéis de luxo.

As notícias sobre o 5G são animadoras mas é preciso ter calma e esperar que ele chegue para todos nos próximos anos. As projeções para o mercado são de um impacto de 12 trilhões de dólares na economia mundial. E um estudo realizado pela Ericsson prevê que em 2023, 20% da população global terá acesso a uma conexão 5G.

Fonte