No início deste ano, a  2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça afirmou que as empresas não podem mais utilizar o nome de produtos vendidos por concorrentes nas buscas do Google.

De acordo com o Google, eles não investigam ou restringem a seleção de marcas registradas como palavras-chave, porém, os Termos e Condições do Google Adwords proíbem a violação de propriedade intelectual por parte dos anunciantes, que são responsáveis pelas palavras-chave e pelo conteúdo de anúncios.

É comum no meio digital o uso de termos e marcas de grandes empresas como palavra-chave ou parte do texto de um anúncio, por exemplo, uma loja virtual que vende produtos de marcas distintas, utiliza o nome delas para diferenciá-las na hora da venda e isso não é um problema. A concorrência desleal é quando uma empresa utiliza a marca registrada da concorrente para se promover.

Há algumas técnicas e métodos para melhorar e ganhar da concorrência, como focar na produção de bons conteúdos; prestar atenção nas palavras-chave usadas pelos concorrentes e até colocar em prática o poder do SEO local para o alcance do público mais próximo em relação a localização. Uma dica é criar uma estratégia de backlinks, ou seja, links recebidos por um site ou página da web, resultando no aumento da popularidade do site.

Atualmente as ferramentas de palavras-chave são inúmeras, podendo escolher a melhor para o seu negócio. Entre elas há o Google Trends, o qual permite descobrir as principais pesquisas que os usuários estão fazendo; O Google Keyword Planner, ferramenta gratuita disponibilizada pelo Google Adwords, que oferece ideias de palavras-chave baseadas em pesquisas anteriores; Alexa, que analisa a forma com que as pessoas interagem com os sites concorrentes e o SEMrush, que apresenta ao usuário informações relevantes sobre as palavras-chave pesquisadas e o fluxo de usuários nas propriedades de concorrentes.

 

Fonte