Com certeza você já ouviu falar a respeito de inúmeras estratégias de Marketing Digital. Nesta matéria falaremos sobre uma estratégia bastante eficaz para melhorar os resultados das suas campanhas: o Remarketing!

1.O que é?

O Remarketing é uma estratégia de marketing, cujo objetivo é impactar pessoas já atingidas anteriormente por determinados anúncios ou campanhas por meio do acesso a sites ou outros canais virtuais, ou que demonstraram interesse por informações, produtos e serviços específicos. Ou seja, o Remarketing consiste em fazer marketing novamente para pessoas que já interagiram com a sua marca, sejam compradoras ou não, reimpactando-as por meio de anúncios, e-mails, vídeos e conteúdos diversos direcionados, conduzindo-as a realizar uma nova ação (a compra ou contratação de um serviço, o engajamento com algum conteúdo), ou a concluir ações interrompidas, como a compra de um produto ou contratações de serviços que estavam em processo de conclusão e, no entanto, não foram concluídas.

2.Como funciona?

Plataformas como Google Ads, Facebook Ads e softwares de automação de marketing se utilizam de códigos de rastreamento para acompanhar as ações realizadas pelo internauta, com o objetivo de realizar campanhas de remarketing. Tais códigos de programação são fornecidos por Google e Facebook, dentre outros, e são inseridos no site da sua empresa. Tais códigos de rastreamento têm como objetivo básico rastrear e capturar dados da navegação do usuário que são muito úteis na hora definir estratégias de marketing digital em geral, incluindo o remarketing. No caso do Google, chamamos tal código de Cookie e, no caso do Facebook, chamamos de Pixel.

3.Quais são as vantagens do Remarketing?

Ao usar estratégias de remarketing, você consegue aumentar o número de conversões/vendas da sua empresa. A premissa básica do remarketing é: raramente o cliente realiza a compra ou contratação de um novo produto a partir da primeira pesquisa, acesso ao site, ou contato com sua marca através de anúncios. Segundo estudos de e-commerce, em média, 97% dos clientes não convertem numa primeira interação. Se considerarmos então vendas mais complexas, este percentual é ainda menor.

A partir dos dados obtidos pelas ferramentas de rastreamento, portanto, o remarketing mantém sua marca ou produto visível para aqueles que demonstraram interesse ou estão em processo de sondagem/análise para finalizar a compra. Ou seja: a campanha de remarketing faz com que o cliente continue com sua marca em mente enquanto analisa a possibilidade da compra.

A estratégia de remarketing pode ser elaborada de acordo com o estágio em que o cliente se encontra no processo de compra. Quanta melhor a estratégia, maior o potencial de conversão! Em uma estratégia de remarketing, você pode direcionar anúncios para:

  • Clientes que estão na fase inicial, de pesquisa sobre seu produto ou serviço, e que não necessariamente têm a intenção de comprar ou contratar;
  • Clientes que estão na fase de consideração, ou seja: estão refletindo sobre as características do produto (muitas vezes comparando-o com produtos de outras marcas), pesquisando preços, buscando recomendações, etc;
  • Clientes que já realizaram compras anteriores e que, portanto, são potenciais compradores de novas unidades ou talvez se interessem, por exemplo, em um upgrade do plano atual de um determinado tipo de serviço contratado.

Geralmente o período da estratégia de remarketing é de 30 dias, podendo variar de acordo com a plataforma, as configurações utilizadas e os objetivos.

4.Os Cookies do Google

Você certamente, ao acessar algum site, já viu mensagens de aviso sobre a política de privacidade – geralmente exibidas na parte inferior da página – solicitando a permissão do usuário para salvar Cookies no navegador. Os Cookies são códigos fornecidos pelo Google às empresas, para que estas possam rastrear os usuários que acessam seus sites. O próprio Google também se utiliza dos Cookies para determinar onde exibirá seus anúncios no formato display (aqueles banners de tamanhos variados que aparecem em diversas posições em muitas das páginas que acessamos), e também para exibir resultados de pesquisa pagos em sua página de busca. Ao navegar no dia a dia, é muito comum que acabemos por instalar dezenas de Cookies distintos em nosso navegador, por intermédio de diferentes sites, como jornais, lojas virtuais, e outros.

Os Cookies rastreiam e capturam dados da navegação do usuário, tanto quando ele está dentro do site que instalou o Cookie, seja quando está navegando fora dele. Os dados são capturados a partir de diversos tipos de interações, tais como:

  • Cliques em anúncios específicos;
  • Visitas frequentes à sites/páginas específicos (o que é um elemento importantíssimo para estabelecer o perfil do cliente, já que assim se obtém, por exemplo, os assuntos pelos quais ele mais se interessa);
  • Preenchimento de formulários de pesquisa;
  • Seleção de itens para carrinhos de compra virtuais;
  • Compras realizadas;
  • Assinatura de Newsletters;
  • Download de e-books;
  • Termos mais utilizados em pesquisas;

Um exemplo típico de aplicação dos Cookies é quando, após acessarmos um site com conteúdos ou ofertas específicas – ou então realizarmos algumas das ações acima mencionadas – passamos a receber anúncios relacionados ao que pesquisamos/acessamos em diversos canais (postagens patrocinadas, anúncios do Google Display exibidos em sites diversos, e também após pesquisarmos algo no Google).

Os Cookies acompanham o lead por um período pré-determinado na configuração da campanha, para re-impactar usuários que, embora tenham demonstrado interesse em um determinado post, site ou produto, não chegaram a finalizar o processo de conversão de acordo com o objetivo da campanha. Por exemplo, se o objetivo da campanha fosse conversão em vendas, seriam impactadas pessoas que não chegaram a concretizar a compra, que inseriram itens no carrinho e não finalizaram, ou que acessaram a página de um produto ou serviço acima de uma certa quantidade de vezes (o que indica um interesse efetivo pela compra/contratação, para além da mera pesquisa ou curiosidade).

5.O Pixel do Facebook

No caso do Facebook, o código de rastreamento ou pixel funciona exclusivamente no site em que foi inserido, ou seja: o código não acompanha e nem captura dados das ações executadas pelo usuário fora do site para o qual foi configurado. Contudo, não se trata de uma desvantagem, pois os dados capturados são encaminhados para o Facebook – a rede social com a maior quantidade de usuários do planeta! – permitindo que os anúncios exibidos no feed e também na lateral do feed sejam distribuídos de maneira segmentada para todos os seus usuários. Uma das grandes vantagens, aliás, de usar o Facebook para um campanha de remarketing, é que a plataforma consegue segmentar os perfis de seus usuários bastante específica, a partir de dados diversos como gênero, idade, estado civil, localidade, dentre muitos outros. Deste modo, além de atingir pessoas que já interagiram com sua marca ou produto, o Facebook consegue também direcionar sua campanha para usuários cujos perfis indicam maior compatibilidade ou predisposição para compra seu produto ou contratar o serviço oferecido.

6.Dicas para elaborar uma campanha de remarketing

  • Defina o seu público-alvo de maneira clara, escolhendo usuários com maior probabilidade de se interessarem pelo que é oferecido com base nos dados disponibilizados pelos códigos de rastreio;
  • Crie anúncios específicos para cada público, com apelos distintos, de acordo com as ações dos usuários durante a navegação. Por exemplo: se o usuário faz muitas comparações de preço, porque não oferecer um desconto? Ou, se demonstrou que os aspectos técnicos ou qualitativos importam muito, que tal ressaltar a qualidade do seu produto/serviço?;
  • Tenha uma landing page bem feita, visualmente atraente e funcional. De nada adianta atrair o cliente por intermédio de um bom anúncio se, ao acessar sua landing page, ele tiver uma experiência desagradável;
  • Faça análises constantes. Fique sempre de olho nas métricas oferecidas por Google e Facebook para saber qual é a relação custo/retorno de suas campanhas, e assim conseguir criar estratégias mais eficientes, inclusive de remarketing;
  • Ao fazer uma campanha de remarketing, tome cuidado ao estabelecer a frequência com que seus anúncios serão exibidos. Isto pode provocar o efeito contrário ao desejado, pois o cliente pode se cansar diante da presença excessiva da sua marca ou de suas ofertas e passar a ignorá-las. O limite recomendado é de 10 visualizações por pessoa.

Aproveite as vantagens do remarketing e acompanhe o nosso blog! Se tem dúvidas ou interesse em contratar serviços de marketing digital, basta preencher o formulário abaixo que, em breve, um especialista entrará em contato com você: